Breadcrumb navigation

Identificação digital: A solução de segurança da próxima geração

Walter Lee

Guru e líder de relações governamentais
Departamento de segurança global, Cingapura
NEC Corporation

A convergência do mundo cibernético e do mundo físico na era da Internet das Coisas está intensificando a escala de riscos de segurança e a necessidade de melhorar as tecnologias de identificação. A Frost & Sullivan fala com o guru da NEC, Walter Lee, que está encarregado de divulgar a visão da NEC para construir cidades mais seguras, sobre a importância da identificação digital na proteção das sociedades futuras.

Frost & Sullivan: ouvimos você falar sobre as três principais tendências da segurança: Internet das Coisas/Internet das Ameaças (Internet of Things/Internet of Threats, IoT), colaboração entre agências (Inter-Agency Collaboration, IAC) e integração da vertente cibernética e da vertente física (Integration of Cyber and Physical, ICP). Então, como é que isso se relaciona com a identificação digital?

Walter: é claro que a segurança não está apenas limitada à segurança cibernética. Pode se estender à segurança nacional, à segurança financeira, à segurança na saúde - ou seja, a todos os elementos necessários para se tornar uma cidade inteligente e mais segura. A identificação digital é o alicerce fundamental das soluções de segurança para as sociedades modernas como a vemos hoje.

Considere a Internet das Coisas nos dispositivos, especialmente no caso dos celulares, que são agora usados para efetuar vários micropagamentos, transferências P2P, apresentações etc. Em um futuro próximo, os celulares serão elementos centrais para efetuar inúmeras transações. Ao mesmo tempo, estamos vendo uma crescente demanda por soluções integradas, uma fusão entre a segurança cibernética e a segurança física. Por exemplo, a fusão da identidade física e da identidade cibernética de uma pessoa ocorre por meio do uso de uma impressão digital biométrica como função de login em um smartphone.

No meio disso, estamos dando apoio ao governo e às agências e bancos transfronteiriços para aumentar sua capacidade de compartilhar informações relevantes. Nos 3 desenvolvimentos da IoT, IAC e ICP, vemos que, atualmente, há uma enorme necessidade de identificação visual integrada no mercado.

Devido ao fluxo de transações comerciais que entram no ciberespaço, as pseudo-identidades e outras formas de identidade (p. ex., senhas, números PIN, bilhetes de identidade) enfraqueceram consideravelmente. Como resultado, a integração da identificação digital tornou-se extremamente crucial.

Frost & Sullivan: a NEC é reconhecida por ter a tecnologia mais precisa de reconhecimento facial. Desnecessário dizer que a biometria contribui para as operações funcionais dos sistemas de identificação digital. A este respeito, como é que a NEC promove a identificação digital?

Walter: a NEC tem estado particularmente forte no domínio da identificação digital. Atualmente, a vanguarda da identificação digital reside na identificação transfronteiriça. A biometria é considerada a defesa mais forte e mais sólida na fronteira. Com a utilização generalizada da biometria nos sistemas de imigração, a biometria está agora em expansão para aplicações comerciais (p. ex., serviços bancários, varejo). Estamos testemunhando um avanço de uma utilização limitada para uma aplicação generalizada da biometria.

Um exemplo disso: a integração da identificação digital permite efetuar pagamentos facilmente por meio de autenticação biométrica. Recentemente, realizamos um projeto biométrico piloto com um dos maiores bancos japoneses em que testamos serviços de pagamento sem dinheiro usando a tecnologia de reconhecimento facial da NEC. Em um futuro próximo, poderemos andar sem dinheiro e sem cartões (p. ex., usando o reconhecimento facial para efetuar pagamentos) para efetuar todo o tipo de transações. Nossos sistemas de reconhecimento avançados trouxeram a identificação digital para os celulares com Neoface® Smart ID, que tem um aplicativo móvel que permite a captura de vários dados biométricos, incluindo o rosto, os dedos e a voz, em smartphones e tablets. Esta tecnologia vai ao encontro das atuais demandas de segurança pública, dada a grande conectividade dos dispositivos.

A NEC está pronta para desenvolver a aplicação extensiva da biometria para a identificação digital. A NEC continuará a explorar sistemas de impressão digital, reconhecimento facial, leitura da íris e muitas outras características futuras da biometria a este respeito.

Frost & Sullivan: dado o foco da NEC na biometria, você pode compartilhar o plano estratégico da empresa ou o plano de implementação que se prevê instituir em um período de 3 a 5 anos?

Walter: certamente; temos dois desenvolvimentos em curso. Neste momento, estamos estudando as duas dimensões da tecnologia de inteligência artificial, sendo uma a análise de macrodados e a outra a aprendizagem profunda.

Na verdade, a NEC está investindo fortemente na inteligência artificial para fins de análise de macrodados; temos extração de dados de imagens (Image Data Mining) (que foi anunciada, embora o desenvolvimento esteja em curso). A extração de dados de imagens (Image Data Mining) gera recursos de pesquisa em tempo real para combinar imagens faciais por meio de novos algoritmos de busca, que são eficazes para megaeventos. Imagine ser capaz de inspecionar 50.000 pessoas à medida que vão entrando no estádio pelos portões. Neste caso, a NEC fornece soluções que podem atender a essa utilização alargada da biometria.

A segunda dimensão da inteligência artificial é a aprendizagem profunda. Por meio da análise de dados, conseguimos compreender significados e intenções a fim de planejar e otimizar à medida que vamos interpretando os dados coletados. A identificação digital não é um fim em si mesmo - é um meio para chegar a um fim.

Um dos pontos fortes da NEC é o desenvolvimento de soluções que protegem as cidades por meio da convergência da vertente cibernética e da vertente física. Que proposta de valor você gostaria de destacar?

A NEC é muito forte na implantação de soluções integradas a fim de construir uma solução total para os clientes. Como é que a NEC se compara aos outros fornecedores? Embora existam outros líderes de vários mercados especializados em segurança, a NEC é única no fornecimento de soluções de segurança de vários estratos. Conseguimos implementar soluções diferentes em resposta à complexidade dos diferentes estratos. Fornecemos também uma solução pronta a utilizar aos nossos clientes.

Em segundo lugar, a implementação de nossas soluções é complexa e abrangente. Como tal, os clientes muitas vezes nos pedem para fornecer gerenciamento e suporte contínuos, e assim nos tornamos uma "plataforma como serviço". Nossos serviços são amplamente prevalentes em todo o mundo, incluindo, entre outros países, como na Austrália, no Japão e em Cingapura.

Frost & Sullivan: Se você tivesse que escolher uma lição fundamental para as organizações considerarem, qual seria?

Walter: a Internet das Coisas está impulsionando a integração do ambiente cibernético e físico de hoje. A fim de garantir que as transações comerciais e os serviços governamentais possam ser melhorados, a identificação digital é a pedra angular que irá definir a própria estrutura de segurança pública nas sociedades futuras.

Walter Lee é o guru e líder de relações governamentais do departamento de segurança global da NEC. Walter lidera uma equipe que tem como objetivo disseminar a visão de "Cidades mais Seguras" da NEC, criando soluções de segurança e possibilitando novas colaborações com agências governamentais e empresas privadas. Anteriormente, ele liderou várias validações de conceitos enquanto chefe do departamento de administração de inovação da NEC. Walter desempenha um papel fundamental enquanto representante da NEC em vários fóruns antiterrorismo globais, incluindo as Nações Unidas e a ASEAN.